Cuidados Diários com um pug

Os Pugs são cães de fácil manutenção, devido a sua pelagem curta, não necessitando de muitos cuidados especiais.

Como qualquer cão, deve ser alimentado somente com ração de boa qualidade (de preferência "Super-premium"), e ter sempre água limpa e fresca à disposição. Deve-se evitar, sempre, doces, alimentos muito gordurosos e condimentados. Muitos têm tendência à obesidade, então deve-se limitar a quantidade de ração que, para os adultos, deve ser oferecida duas vezes ao dia. Um pote com água limpa e fresca deve ser sempre deixado à disposição do cão. É importante lembrar: chocolate é considerado veneno para os cães, pois prejudicam o fígado.

Deve ter uma cama limpa, confortável e abrigada de correntes de ar e mudanças bruscas de temperatura. Jamais deve ficar na rua. Os Pugs são cães para dentro de casa.

Se for possível, os dentes devem ser escovados diariamente, ou pelo menos semanalmente, com uma escova macia e pasta de dentes especial para cães, encontrada nas pet shops.

Seqüência da limpeza diária:

1) Escovação dos dentes com pasta especial para cães

  2) Limpeza da dobrinha de cima do nariz com óleo mineral neutro

3) Limpeza dos olhos com solução fisiológica

4) Secando dobrinha e olhos com lenço de papel

 5) Uma boa escovação, primeiro contra e depois a favor do crescimento do pêlo

6) Massagem com luva de borracha, ou uma flanela macia, a favor do crescimento do pêlo, como acabamento.

Cuidados Gerais

Nós pugs somos cachorros exigentes. Carinho e amor são bons, mas não é tudo. Se não formos bem cuidados poderemos ficar doentes, feios e tristes. Nossos donos têm a obrigação de se informarem sobre o que nós precisamos especificamente e nos proporcionar qualidade de vida e longevidade.

Olhos:

Nossos olhos têm tendência a lacrimejar e criar remela. A limpeza pode ser feita com gaze ou algodão umedecidos em solução fisiológica, água filtrada ou água mineral sem gás.

Também temos que ter cuidado, pois nossos olhos são muito expostos (dá pra ver que são um pouco pra fora), e podemos sem querer ferí-los em plantas espinhosas e outros objetos afiados e pontiagudos.

Alguns cães lacrimejam demais, chegando a molhar os pêlos em volta do olho, que com o tempo ficam escuros. Se isso acontece com você, talvez você tenha os canais lacrimais "entupidos", o que não permite que a lubrificação natural dos olhos escorra por eles, por isso "chora" tanto. É preciso procurar um veterinário para resolver o problema.

Pelagem:

Além dos banhos quinzenais ou mensais (melhor mensais), precisamos ter nosso pêlo escovado. Algumas pessoas dizem que ele deve ser escovado uma vez por semana. Mas o verdadeiro segredo de um pelo viçoso e brilhante é ser escovado todo dia com a escova adequada (no nosso caso, escova de cerdas artificiais duras e outra de cerdas macias). Quanto mais nosso pêlo é escovado, mais o pêlo morto é removido (nós soltamos pêlos todos os dias) e mais bonito e brilhante ele fica!

 Boca:

Nossa boca também requer cuidados. Se não for higienizada podemos ter tártaro, cáries e outros problemas, podendo ficar com mau hálito, dor e até perder dentes.

Nosso donos tem que escovar nossos dentinhos, mesmo que a gente não goste, no mínimo três vezes por semana. Mas é claro que escova e pastas humanas não servem pra gente. Existem produtos específicos para nós, principalmente pasta dental, pois a gente não cospe depois de escovar os dentes, ingerimos a pasta, e se ela não for própria para a ingestão pode fazer mal.

Para facilitar a limpeza dos dentes, os humanos podem deixar também à nossa disposição ossinhos de couro, biscoitos (esses tem uma quantidade certa por dia, olhe na caixa), brinquedos para mastigação, etc.

Temos que ir também ao veterinário regularmente para ele ver se está tudo bem com nosso dentinhos.

Respiração:

Por termos um focinho muito curto, temos dificuldades para respirar, principalmente quando o tempo está muito quente ou quando ficamos no sol forte. Sentimos desconforto nos dias muito quentes; e muito frios também, pois o ar não tem espaço para ser aquecido e entra gelado em nossos pulmões. Por isso se estiver muito quente é bom termos um ventilador por perto, ficarmos na sombra, num cômodo com ar condicionado ou em local arejado; e quando estiver muito frio temos que ficar em local aquecido.

Também não podemos fazer exercícios tipo corrida, que precisam de fôlego, justamente por esse problema. Mas também não precisamos ficar sem correr toda vez que nos der vontade, só não podemos abusar!

Se por um acaso você passar muito mal com o calor ou até mesmo desmaiar, fale pro seu dono lhe dar um banho com água fria correndo!

(ver "SÍNDROME DO CÃO BRAQUICÉFALO").

Ouvidos:

Nossos ouvidos têm que ser limpos semanalmente com algodão e o produto indicado pelo seu veterinário. Se não forem limpos, vão ficar com aquela caca de cera, e ficam fedidinhos também, que nem a dos humanos.

Os humanos não podem deixar que entre água em nossas orelhinhas, mas caso caia, peça para que eles pinguem duas gotas de "Álcool Boricado a 2%" em cada ouvido, mas só se entrar água. O álcool evapora e leva a água com ele, e o "boricado" dá uma limpadinha. Só que, como tudo, não se pode exagerar na quantidade, senão faz mal.

Pele:

Como todos podem perceber nós temos muitas rugas, o que nos deixa muito fofos! Só que essas ruguinhas precisam ser limpas, senão podem ter assaduras e fungos. Na verdade, a dobrinha que deve ser limpa é aquela que fica sobre o nariz. Muitas pessoas dizem que deve ser limpa uma vez por semana, mas o ideal é que seja limpa todo dia! Alguns humanos usam higiapele, outros usam aqueles lencinhos umedecidos para bebês humanos. Só que o seu dono tem que ficar atento para ver se esses produtos te dão alergia. Caso dêem, suspenda o uso e use somente solução salina para limpeza das dobrinhas, secando muito bem depois, com lenços de papel macios.
Ah, outra sugestão sobre a nossa pele: não use perfumes de cães, muito menos os de humanos. Como somos muito alérgicos isso pode nos fazer muito mal. Se for realmente necessário, passe quando nós formos passear.

Banho:

Banho é que nem legumes, uns gostam, outros não. Eu não me importo muito com banho, até fico quietinho, só não gosto daquele negócio estranho jogando vento quente na minha cara. E já que não tem como fugir, o jeito é fazer da maneira correta.

Filhotes de até dois meses de idade não podem tomar banho. Depois disso, quanto menos banho, melhor. No máximo de quinze em quinze dias ou, melhor ainda, uma vez por mês. A sorte é que somos uma raça de pêlo curto, e só precisamos de poucos banhos, ao contrário dos peludões que precisam de banho toda semana. No inverno o intervalo entre um banho e outro deve ser ainda maior, e nos dias mais frios devemos ser poupados. Mas se não tiver outro jeito (vai ver que você rolou na lama e precisa tomar banho num dia super frio), peça pro seu dono não sair com você até meia hora depois do banho. Se você toma banho em pet shop, fale pra ele te levar vinte minutos antes da hora marcada e só te buscar meia hora depois do banho. Assim você não leva um choque térmico.

Só podemos tomar banho com sabonetes ou shampoos específicos para cães, evitando aqueles que tenham inseticidas ou muitos produtos químicos. Não permita que seu dono caia naquela de "fulano me indicou esse". Às vezes é uma pessoa que não entende muito sobre pugs e acaba indicando qualquer um. Isso pode ser muito prejudicial, afinal, somos uma raça especial!

Se por acaso você estiver com problemas de pele, peça para ser examinado pelo seu veterinário.

Se você toma banho em casa, lembre sempre o seu humano sobre isso:

- Nossos ouvidos são muito sensíveis, que nem ouvidos de bebês humanos. Os humanos têm que colocar algodão nos nossos ouvidos para impedir a entrada de água – NUNCA podemos mergulhar (ou ser “mergulhados” à força)!
- Se ele usar jatos fortes, reclame! Você pode acabar com os olhos ou ouvidos machucados;
- Aliás, nossos focinhos e olhos devem ser tratados com muito cuidado, como se fôssemos bebês humanos; nunca devem colocar chuveirinho direto na nossa cara! Nossa carinha deve ser limpa com uma esponja umedecida só com água;
- Fale pro seu dono molhar bem o seu pêlo antes de passar o shampoo;
- Nosso pêlo deve ser bem enxaguado, pois resíduos podem provocar ressecamento, perda de brilho e queda;
- Você deve estar completamente seco antes que seu dono diga que terminou;
- Não fique em correntes de ar após o banho;
- Se o seu dono quiser usar detergentes domésticos, sabão em pó ou pedra comum, não permita que ele lhe dê banho!
- Não é o nosso caso, mas se algum cachorro peludo estiver lendo isso, saiba que seu pêlo tem que ser tosado antes do banho se estiver muito embolado.

Exercícios:

Nós pugs temos tendência a engordar e ficarmos flácidos. Por isso precisamos de exercício. Também precisamos nos exercitar, principalmente durante o crescimento, para fortificar músculos, ossos e ligamentos. Mas não se pode exagerar. Temos problemas de respiração e coração, por isso nada de pegar pesado.

Alguns bons exercícios: passeios, descer e subir escadas (eu adoro fazer isso em casa!), buscar bola e outro brinquedos, brincar com outros cachorros...
Alimentação:

Todo ser vivo precisa de comida para viver. Ah, todo mundo sabe disso, até os humanos. Vamos ao que interessa.

Algumas raças são mais resistentes do que outras. Nós pugs somos frágeis e carecemos de muito cuidado com a alimentação. Somos muito "pidões" e chantagistas quando vemos os humanos comerem algo, mas é obrigação deles resistir. Cães não devem comer alimento humano, como temperos, massas, doces, chocolates, frios, gorduras, ossos crus, etc. Mas caso você esteja realmente morrendo de vontade de algo do tipo, existem alimentos para nós "inspirados" em alimentos humanos, como pudins, chocolates, biscoitos, etc.

Nós não gostamos de fazer propagando, portanto, não vamos citar marcas de ração. As rações mais adequadas para a nossa raça são as classificadas como “Super-premium”. São caras, é verdade, mas o que os humanos gastam em ração estão poupando em veterinário e sofrimento (pois alimentação inadequada traz sérios problemas). Afinal de contas, somos de uma raça “Super-especial”, não é verdade? Necessitamos de cuidados especiais!

É claro que essas rações têm várias versões, tanto para adultos quanto para filhotes. Mas o seu dono tem que decidir qual é a melhor para você. Se ele tiver dificuldade, pode pedir orientação do veterinário.

Além da ração e dos produtos especiais, também podemos comer frutas. Mas só as que não são cítricas, e caso elas tenham caroço seu dono tem que retira-los, ou podemos nos engasgar.

Apesar de todos esses cuidados, também há a preocupação com a quantidade de comida. Como todos sabem, somos muito gulosos, mas claro, uns mais do que outros. Mas os nossos donos têm que controlar a quantidade da comida e o número de vezes que comemos por dia. Até o sexto mês de vida, devemos comer quatro vezes por dias; do sexto ao 12º mês (1 ano) a alimentação tem que ser dada três vezes por dia; a partir daí temos que comer duas vezes por dia. O seu dono e o veterinário devem decidir juntos a quantidade de cada refeição.

Água também faz parte da alimentação. Ao contrário da ração, podemos consumir o quanto quisermos. Nossa água tem que ser filtrada (pensa que são só os humanos que podem ficar doentes com água "suja"?!) e trocada de duas a três vezes por dia, para que esteja sempre fresca, limpa e sem nenhum resíduo. Se você é filhote e não bebe água espontaneamente, seu dono tem que lhe levar no veterinário para ver se você tem algum problema.

No calor podemos também beber água de côco fresca com seringa ou conta-gotas (tudo em excesso faz mal)

Não se esqueça de mais algumas coisinhas:

- O saco de ração deve ficar fechado, em local seco, arejado, longe de produtos de limpeza, formigas, baratas e outros bichinhos nojentos.

- No caso de ser utilizada a ração úmida, ela não poderá ficar exposta. Os humanos tem que colocar pequenas porções no comedouro e jogar fora o que a gente não consumir naquela refeição.

- Não é aconselhável comprar ração à varejo em sacos aberto, pois ela ficará exposta a microorganismos patógenos, além de sofrer processos oxidativos indesejáveis.

Unhas ou garras:

Nossas garras, assim como as unhas humanas, não param de crescer. Se elas ficam muito grandes podem nos causar dor quando andamos. Para isso precisamos tê-las aparadas de quinze em quinze dias. O veterinário, a pessoa que nos dá banho na pet shop e até nossos próprios donos podem cortar nossas unhas. Não é muito difícil, mas exige atenção e cuidado. Nossas unhas têm uma veia dentro, por isso se for cortada de maneira errada pode sangrar e nos fazer urrar de dor.

Para se cortar as unhas em casa é bom ter ajuda de outro humano. Nós temos que ficar o mais parados possível. Observa-se até onde vai a veia e corta-se um pouco depois de onde ela termina. Mas por favor, humano, se você acha que não dá conta do recado, nem tente fazer em casa! E outra, não se pode cortar com qualquer tesoura. Tem que ser uma especial para as nossas garras.

Depois que nossas garras são aparadas elas podem ficar bem afiadas. Por isso é bom lixá-las, é, lixá-las, com essas lixas de gente mesmo, para arredondar as bordas.